23. The Unlikely Reunion – 23. A reunião Improvável

111
      Reproduzir áudio
23. The Unlikely Reunion

On December 26, 2004, a 10-minute long earthquake with a 9.3 magnitude occurred in the Indian Ocean. This massive earthquake, which is the third strongest ever recorded in history, triggered various powerful tsunamis that reached over a dozen countries’ shores. Nearly 230,000 people were killed by the catastrophe, and hundreds of thousands of others ended up injured or missing. In the midst of all the devastation caused by this disaster, many amazing and inspiring survival stories have emerged. One of the most extraordinary of these is the story of a young girl named Wati.

The tsunami struck her hometown of Aceh when she was only eight years old. Like so many others, the powerful waves separated her from her family, and she ended up being washed into an unknown town. After many years of searching for her, her family gave up and assumed she had died after being swept away. Miraculously, Wati was returned to her parents seven years later, at the age of 15!

According to Wati, she had been “adopted” by a stranger who found her on the streets after the tsunami. Although the woman took her in to live with her, she forced Wati to beg on the streets and would often beat her if she did not make enough money. The girl had tried to find her family by asking for help from strangers, but did not remember the names of her parents and could only vaguely remember that she had a grandfather named Ibraham.

Finally one day, a cab driver who heard Wati’s story happened to know an old man with that name in a nearby town and decided to take her to him. Although the old man did not recognize her at first, he took Wati to see his daughter. “When I saw my mother, I knew it was her,” said the 15-year-old. “I just knew.” The parents were able to confirm that it really was their daughter based on a scar and birthmark on the girl’s hip. This miraculous story is unfortunately one of the only confirmed reunions among families that were separated by the disaster.

23. A reunião Improvável

Em 26 de dezembro de 2004, um longo terremoto de 10 minutos com uma magnitude de 9.3 ocorreu no Oceano Índico. Este grande terremoto, que é o terceiro mais forte já registrado na história, desencadeou vários tsunamis poderosos que chegaram a mais de uma dúzia dos países em costa. Quase 230.000 pessoas foram mortas pela catástrofe, e centenas de milhares de outras acabaram feridas ou perdidas. No meio de toda a devastação causada por esse desastre, muitas histórias de sobrevivência inspiradoras e incríveis surgiram. uma das mais extraordinárias delas é a história de um jovem garota chamada Wati.

O tsunami atingiu sua cidade Natal de Aceh quando ela tinha apenas oito anos de idade. Assim como muitos outros, as poderosas ondas separaram-na de sua família, e ela acabou sendo levada a uma cidade desconhecida. Depois de muitos anos de procura por ela, sua família deu-se por vencida e assumiu que ela morreu depois de ser varrida. Milagrosamente, Wati foi devolvida para seus pais sete anos mais tarde, com a idade de 15 anos!

De acordo com Wati, ela tinha sido “adoptada” por um estranho que a encontrou nas ruas após o tsunami. Apesar de a mulher levá-la para viver consigo, ela forçou Wati a pedir nas ruas e muitas vezes lhe batia se ela não fizesse dinheiro suficiente. A menina tentou encontrar sua família pedindo ajuda de estranhos, mas não lembrava os nomes de seus pais e só podia vagamente lembrar que ela tinha um avô chamado Ibraham.

Finalmente, um dia, um motorista de táxi que ouviu a história de Wati, conhecia um homem velho com esse nome em uma cidade vizinha e decidiu levá-la a ele. Apesar de o velho homem não a reconhecer no inínio, ele levou Wati para ver sua filha. “Quando eu vi minha mãe, eu sabia que era ela”, disse a jovem de 15 anos. “Eu só sabia.” Os pais foram capazes de confirmar que era realmente sua filha com base em uma cicatriz e marca de nascença no quadril da menina. Esta milagrosa história é, infelizmente, uma das únicas reuniões confirmadas entre as famílias que foram separadas pelo desastre.

Deixe um comentário