61. Not Sold Over the Counter – 61. Não Vendido Sem Receita Medica

95
      Reproduzir áudio
61. Not Sold Over the Counter

One of Barb’s favorite activities since moving to the United States was watching television. She especially loved watching the commercials. “You really can buy anything here in America!” she told her friends. One afternoon she was watching television and saw a commercial that really grabbed her attention. It showed a cartoon woman tossing and turning. The woman in the commercial was unable to sleep because she was busy thinking about the day that had passed and worrying about the day ahead. Barb wasn’t quite sure what the commercial was advertising. Was it a bed? Was it a pillow? Was it just a public service announcement urging people to sleep more? Suddenly a voice on the television began speaking very quickly, listing side effects of the sleeping pill the commercial was advertising. One of the side effects was insomnia. Barb thought that seemed like an odd side effect for a sleeping pill.

The next day Barb happened to be in the local neighborhood pharmacy picking up a few things. She remembered the commercial she had seen the night before for the sleeping pills. She walked up and down the aisles looking for them. Since she saw it advertised on television, she thought she might try them. Sometimes she had a hard time sleeping. When she couldn’t find the pills on her own, she walked over to the pharmacy counter and asked the pharmacist where she could find the pills.

“Do you have a prescription?” the pharmacist asked. Barn explained that she didn’t, but she saw the pills advertised on television and thought she would try them. “Those are not available over the counter,” the pharmacist explained. Barb thought it was dumb for there to be a commercial for something she couldn’t just go get at the store. She walked out of the pharmacy without buying anything.

61. Não Vendido Sem Receita Medica

Uma das atividades favoritas de Barb desde sua mudança para os Estados Unidos era assistir à televisão. Ela gostava especialmente de assistir aos comerciais. “Você realmente pode comprar qualquer coisa aqui na América!” Ela disse a seus amigos. Uma tarde, ela estava assistindo televisão e viu um comercial que realmente chamou sua atenção. Ele mostrava um desenho em que uma mulher agitada dá voltas na cama. A mulher do comercial era incapaz de dormir porque estava ocupada pensando no dia passado e se preocupando com o dia seguinte. Barb não tinha certeza de que propaganda era o comercial. Era de uma cama? um travesseiro? ou foi apenas um anuncio do serviço público que incita as pessoas a dormir mais? De repente, uma voz na televisão começou a falar muito rapidamente, listando os efeitos colaterais da pílula para dormir, o comercial era um anuncio. Um dos efeitos colaterais foi insônia. Barb achou que parecia um estranho efeito colateral para uma pílula de dormir.

E aconteceu que, no dia seguinte Barb esteve na farmácia local pegando algumas coisas. Ela lembrou-se do comercial de pílulas para dormir que tinha visto na noite anterior. Ela andou para cima e para baixo dos corredores à procura deles. Desde que viu o anuncio na televisão, ela pensou que poderia experimentá-los. Às vezes, ela tinha dificuldade em dormir. Quando ela não conseguiu encontrar as pílulas por conta própria, ela caminhou até o balcão da farmácia e perguntou ao farmacêutico onde poderia encontrar as pílulas.

“Você tem uma receita?” – perguntou o farmacêutico. Barb explicou que não, mas viu as pílulas anunciadas na televisão e pensou que poderia experimentá-las. “Aquelas não estão disponíveis no balcão”, explicou o farmacêutico. Barb pensou que era estúpido que houvesse um comercial para algo que ela não podia simplesmente ir buscar na loja. Ela saiu da farmácia sem comprar nada.

Deixe um comentário